cupom com desconto - o melhor site de cupom de desconto cupomcomdesconto.com.br

[ad_1]

Em pequeno estudo, nenhum sinal de que o coronavírus possa ser transmitido ao bebê durante a gravidez

(HealthDay) – Há boas notícias sobre o novo coronavírus: pesquisas preliminares sugerem que o vírus não pode ser transmitido de uma mulher grávida infectada para o feto.

Os pesquisadores enfatizaram que a população do estudo era pequena – apenas nove mulheres grávidas – e vários outros fatores significam que as questões permanecem quando se trata de transmissão materno-fetal.

Para o estudo, os pesquisadores analisaram os prontuários médicos das mulheres, que tinham entre 26 e 40 anos de idade. Todas as mulheres viviam em Wuhan, China, epicentro do novo surto de coronavírus COVID-19, que até agora infectou quase 45.000 pessoas e matou 1.113 na China.

Todas as mulheres desenvolveram pneumonia como resultado de sua infecção e todas estavam no terceiro trimestre, de acordo com uma equipe liderada por Yuanzhen Zhang do Hospital Zhongnan da Universidade de Wuhan, na China. Todas as mulheres se recuperaram da doença e receberam antibióticos e oxigenoterapia. Seis receberam terapia antiviral também.

Quanto aos partos, houve dois casos de sofrimento fetal (uma condição em que o bebê experimenta um baixo nível temporário de oxigênio) e dois partos envolveram uma ruptura prematura da membrana fetal, mas todas as nove gestações resultaram em nascidos vivos.

Mais importante, seis dos nove recém-nascidos foram testados e não mostraram sinais de infecção pelo COVID-19. Os bebês foram testados quanto à presença do vírus através de amostras de esfregaços na garganta, sangue do cordão umbilical e amostras de líquido amniótico, observou a equipe. Nenhuma dessas amostras apresentou resultado positivo para o COVID-19.

A amostragem foi realizada na sala de cirurgia no momento do nascimento, para garantir que nenhuma contaminação externa interferisse nos resultados.

O estudo foi publicado em 12 de fevereiro na The Lancet, e foi solicitado por um relatório prévio de um bebê nascido de uma mãe infectada com o coronavírus. Esse bebê teve um resultado positivo para o coronavírus dentro de 36 horas após o nascimento.

O novo estudo sugere que a infecção no útero não é provável. No entanto, a equipe chinesa enfatizou que suas descobertas se baseiam em um pequeno número de casos coletados em um curto período de tempo. Os casos também incluíram apenas mulheres que estavam atrasadas na gravidez e deram à luz por cesariana.

Isso significa que ainda não está claro como a infecção pelo coronavírus durante o primeiro ou o segundo trimestre da gravidez afeta as mães e seus bebês, ou se o vírus pode ser transmitido de mãe para filho durante um parto vaginal.

“É importante observar que muitos detalhes clínicos importantes deste caso estão faltando e, por esse motivo, não podemos concluir neste caso se a infecção intra-uterina é possível. No entanto, devemos continuar a prestar atenção especial aos recém-nascidos nascidos de mães com Pneumonia COVID-19 para ajudar a prevenir infecções neste grupo “, disse Zhang em um comunicado de imprensa da revista.

cupom com desconto - o melhor site de cupom de desconto cupomcomdesconto.com.br

A coautora do estudo, Huixia Yang, do Primeiro Hospital da Universidade de Pequim, acrescentou que “isso é importante para estudar porque as mulheres grávidas podem ser particularmente suscetíveis a patógenos respiratórios e pneumonia grave porque são imunocomprometidas e devido a alterações fisiológicas relacionadas à gravidez”.

Falando no comunicado de imprensa, Yang disse que os fatores relacionados à gravidez “podem deixá-los em maior risco de maus resultados. Embora em nosso estudo nenhum paciente tenha desenvolvido pneumonia grave ou tenha morrido devido à infecção, precisamos continuar estudando o vírus para entender as efeitos em um grupo maior de mulheres grávidas. “

O acompanhamento das mulheres e crianças neste estudo é necessário para avaliar sua saúde a longo prazo, disseram os autores do estudo.

Os pesquisadores observaram que esses achados são semelhantes aos da infecção pela síndrome respiratória aguda grave (SARS) em mulheres grávidas. Não havia evidências de que o vírus da SARS fosse transmitido de mãe para filho durante a gravidez ou o nascimento.

Os resultados do estudo são valiosos para prevenção e tratamento do COVID-19, escreveu Jie Qiao, do Terceiro Hospital da Universidade de Pequim, na China, em um editorial que o acompanha. Ela observou que, neste pequeno estudo, a taxa de complicações obstétricas com COVID-19 realmente parece ser menor do que a observada em mulheres grávidas infectadas com SARS.


Bebê testa positivo para vírus da China apenas 30 horas após o nascimento


Mais Informações:
Os Centros dos EUA para Controle e Prevenção de Doenças têm mais informações sobre o novo coronavírus.

Direitos autorais © 2020 HealthDay. Todos os direitos reservados.

Citação:
                                                 Em pequeno estudo, nenhum sinal de que o coronavírus possa ser transmitido ao bebê durante a gravidez (2020, 12 de fevereiro)
                                                 consultado em 12 de fevereiro de 2020
                                                 https://medicalxpress.com/news/2020-02-small-coronavirus-baby-pregnancy.html

Este documento está sujeito a direitos autorais. Além de qualquer negociação justa para fins de estudo ou pesquisa privada, nenhuma
                                            parte pode ser reproduzida sem a permissão por escrito. O conteúdo é fornecido apenas para fins informativos.



[ad_2]

cupom com desconto - o melhor site de cupom de desconto cupomcomdesconto.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *