cupom com desconto - o melhor site de cupom de desconto cupomcomdesconto.com.br

[ad_1]

Pacientes com comorbidades e de áreas carentes têm resultados piores se admitidos para cirurgia geral de emergência

Esses pacientes são mais propensos a morrer no hospital e permanecer no hospital por mais tempo e são menos propensos a receber alta diretamente para casa.

Maiores níveis de comorbidade e, em menor grau, privação socioeconômica têm um impacto adverso nos resultados de pacientes admitidos para cirurgia geral de emergência, sugere um estudo publicado no jornal online Trauma Surgery & Acute Care Open.

Privação e múltiplas comorbidades são conhecidas por ter um efeito individual nos resultados de pacientes submetidos a procedimentos cirúrgicos de emergência, mas seu impacto combinado não é conhecido.

Além disso, muitos pacientes admitidos em serviços gerais de emergência são tratados de forma não cirúrgica, e não se sabe se todos os pacientes privados, e não apenas aqueles que são submetidos a uma operação, estão em desvantagem para a saúde.

Os autores afirmam que seu estudo é o único que analisou todas as admissões cirúrgicas de emergência durante um longo período, em vez de focar em um diagnóstico ou procedimento específico conduzido em um período mais curto. Também foi conduzido na Escócia, que tem um sistema de saúde gratuito no ponto de atendimento via NHS, o que significa que a privação socioeconômica não é uma barreira difícil para o acesso à saúde.

Os pesquisadores acessaram dados mantidos pelo governo escocês sobre todos os pacientes adultos admitidos no hospital como uma emergência sob os cuidados de um cirurgião geral entre 1997 e 2016. Os pacientes foram admitidos por uma ampla gama de condições, incluindo dor abdominal indiferenciada, colorretal e mama aguda condições, condições urológicas e até traumas no peito e na cabeça. Apenas 26,9% das internações foram operadas.

No total foram analisadas 1.477.810 internações, das quais 16,2% envolveram pacientes do grupo mais carente e 5,6% do grupo menos carente.

Três quartos (75,6%) dos pacientes não tinham comorbidade, 20,3% tinham comorbidade leve, 2,5% tinham comorbidade moderada e 1,6% tinham comorbidade grave. Um paciente com uma comorbidade leve teria uma única condição, como diabetes ou úlcera péptica, um paciente com uma comorbidade moderada possivelmente teria duas dessas condições ou uma condição única mais grave, como câncer, e um paciente com morbidade grave teria múltiplos condições e provavelmente pelo menos um deles severamente.

As taxas de mortalidade durante a internação e em 30 dias, 90 dias e um ano foram de 1,7%, 3,7%, 7,2% e 12,4%, respectivamente, e após a internação 78,6% dos pacientes receberam alta diretamente para casa.

A proporção de pacientes que receberam alta foi aproximadamente a mesma nos grupos operados e não operados.

A análise dos dados revelou que os pacientes com comorbidade grave tinham 13 vezes mais probabilidade de morrer no hospital e 62% menos probabilidade de receber alta diretamente para casa do que os pacientes sem comorbidade.

Em comparação com os pacientes das áreas mais ricas, os pacientes das áreas mais carentes tinham menos probabilidade de receber alta diretamente para casa e mais de um terço tinham maior probabilidade de morrer no hospital.

cupom com desconto - o melhor site de cupom de desconto cupomcomdesconto.com.br

A maior força do estudo é o grande número de episódios hospitalares incluídos, dizem os autores, mas o estudo também tinha limitações, pois muitos fatores não puderam ser controlados. Por exemplo, não há informações sobre comorbidades específicas vivenciadas pelos pacientes ou o motivo de sua internação, como seus sintomas ou a gravidade de sua condição.

Os autores concluem que os pacientes com multimorbidade apresentam risco aumentado de mortalidade intra-hospitalar, de curto e médio prazo. Eles também correm maior risco de serem descarregados em um ambiente fora de casa.

“A identificação precoce daqueles indivíduos que provavelmente necessitarão de mais necessidades de cuidados pode precisar ser explorada a fim de garantir o movimento do paciente através dos setores agudos de atendimento do NHS”, dizem eles, destacando que a necessidade de mais estruturas de apoio é maior na maioria regiões carentes.

“Os médicos precisam avaliar melhor (e quantificar) o impacto que a comorbidade e, em menor grau, a privação socioeconômica têm no tempo de internação, no destino da alta e na mortalidade hospitalar e pós-alta”, acrescentam.

“Isso se refere à própria natureza da discussão paciente-provedor ao definir as expectativas para a duração das internações hospitalares, a probabilidade de receber alta diretamente ou a probabilidade de internação ou morte pós-alta, independentemente da intervenção cirúrgica.”

Embora não seja possível sugerir um “limite de comorbidade” para envolver serviços como fisioterapia, terapia ocupacional, serviço social ou geriatria, eles dizem que é necessário estar ciente de que, em comparação com pacientes sem comorbidade, até mesmo pacientes com menor comorbidades têm metade da probabilidade de receber alta para casa.


Índice de comorbidade específico do coração bate índices genéricos


Mais Informações:
Impacto da privação e comorbidade nos resultados em cirurgia geral de emergência: um estudo epidemiológico, Trauma Surgery & Acute Care Open, DOI: 10.1136 / tsaco-2020-000500

Fornecido por British Medical Journal

Citação: Comorbidades e privação associadas a piores resultados após cirurgia geral de emergência (2020, 24 de agosto) recuperados em 25 de agosto de 2020 em https://medicalxpress.com/news/2020-08-comorbidities-deprivation-linked-worse-outcomes.html

Este documento está sujeito a direitos autorais. Além de qualquer negociação justa para fins de estudo ou pesquisa privada, nenhuma parte pode ser reproduzida sem a permissão por escrito. O conteúdo é fornecido apenas para fins informativos.



[ad_2]

cupom com desconto - o melhor site de cupom de desconto cupomcomdesconto.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *